Devido a morte do pequeno Lucas, o Conselho Municipal inicia campanha de vacinação de cães

Conselho Municipal de Maputo inicia campanha de vacinação de cães

A morte do pequeno Lucas chamou atenção para um problema sério: a raiva animal. Na manhã desta terça-feira, o Conselho Municipal de Maputo escalou o bairro Ferroviário para a campanha de vacinação contra raiva. Dezenas de pessoas afluíram para vacinar os seus animais contra o vírus.

Uma delas é familiar do menino que perdeu a vida no último domingo. Ela revelou-nos que o acontecimento chocou os moradores do bairro, por isso mesmo resolveu levar o seu cão, o Pipocas, para vacinar.

“Eu trouxe o cão para vacinar porque tenho um familiar que foi mordido por um cão. Ontem fomos enterrá-lo e fomos informados que haveria vacinação, porque no bairro Ferroviário as pessoas estão a ser mordidas por cães’’.

Já a senhora Linda Chirindza, de 43 anos, disse que leva regularmente o seu cão para a vacinação. ‘’ Eu faço isso sempre, por causa da raiva, é um problema que mata e eu sempre fiquei alerta. As outras pessoas não vão, muitas vezes, por falta de informação ou então por estarem ocupadas com algumas coisas’’, disse. A verdade é que o fenómeno ocorrido assustou os moradores do bairro Ferroviário.

A veterinária do Conselho Municipal explica que este bairro é um dos que mais número de cães apresenta e que quando se detetam mortes é preciso vacinar os cães da zona.

“Quando temos morte por raiva nós temos que fazer a vacinação nos locais onde ocorreu, porque sempre que há morte, há focos, significa que o vírus da raiva está a circular no bairro’’, revelou Deolinda Mapapa.

A veterinária acrescentou que, um dos grandes problemas que gera o descontrolo nas ruas são os cães de rua, que estão proliferados na cidade.

‘’É difícil controlar o problema dos cães vadios, porque eles têm origem nas residências e por falta de condições os proprietários os abandonam na rua e daí eles reproduzem-se ainda mais’’, disse.

O bairro Ferroviário é caracterizado por um grande fluxo populacional, facto que faz com que haja também muitos animas, sobretudo, os cães.

A veterinária revelou ainda que, segundo estudo, cada homem está para dez cães.