Armando Guebuza e “Tata” voltam a facturar com a venda de autocarros ao Estado

Moçambique

Filipe Nyusi entregou ontem 204 novos autocarros aos operadores privados, para operarem em todo o país. Cem dos 204 autocarros foram vendidos ao Estado por Armando Guebuza, ex-Presidente da República, através da “Tata Moçambique”, a subsidiária da “Tata da Índia”, detida em 25% por Armando Guebuza, que ganhou um contrato público no valor de 27,6 milhões de dólares norte-americanos no ano passado. Guebuza vendeu os autocarros ao Ministério dos Transportes e Comunicações por cerca de 1,7 biliões de meticais.

Segundo a “Zitamar News”, o pagamento será feito em cinco anos, dividido em sessenta parcelas mensais, ou por 770 milhões de meticais (12,6 milhões de dólares norte-americanos), se o pagamento for feito de uma única vez. A “Tata Moçambique” é detida em 65% pela “Tata Holding”, 25% por Armando Guebuza e 10% pela empresa moçambicana “Mbatine Investimentos”. A empresa de Armando Guebuza forneceu 150 autocarros ao Estado em 2011. Os autocarros eram movidos a gás. Os autocarros estão todos paralisados, porque Guebuza não forneceu acessórios.

Os 200 autocarros fazem parte de um lote de mil, adquiridos pelo Ministério dos Transportes e Comunicações, um projecto denominado “Plano 1000”, para cobrir as necessidades durante o mandato inteiro.

As cidades de Maputo e Matola tinham a capacidade de transportar diariamente apenas 60.000 passageiros, cifra que corresponde a apenas 10% das necessidades. O Governo prevê entregar, ainda neste semestre, outros 70 autocarros, o que vai permitir dar resposta a 92% da procura. (André Mulungo)
CANALMOZ – 17.05.2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.