Recenseamento eleitoral arranca a 19 no Pais

Um recenseamento eleitoral de raíz arranca na segunda-feira, 19, em todas as 53 cidades e vilas autárquicas no Pais com vista às eleições municipais deste ano.

Espera-se que sejam recenseados 8.5 milhões de potenciais eleitores.

As opiniões, entretanto, divergem-se quanto à pertinência de um recenseamento de raiz, sempre que se pretenda entrar num ciclo eleitoral, havendo sugestões de que se pode usar o Bilhete de Identidade e outros no sentido de se manter o actual modelo, porque os partidos da oposição não confiam nos órgãos eleitorais.

Algumas correntes de opinião defendem uma simples actualização porque desta forma o país iria poupar dinheiro, para além de que muitas das poucas pessoas que se recenseiam não votam.

O sociólogo Francisco Matsinhe discorda deste ponto de vista e diz que a oposição não confia nos órgãos eleitorais.

Entretanto, o analista Manuel Alves defende que tendo em conta o facto de que existem pessoas que anualmente atingem a idade para votar devia-se optar por uma simples actualização, que é menos onerosa.

Por seu turno, Moisés Mabunda é defensor da ideia de que o Bilhete de Identidade pode servir também para o processo de votação, como acontece noutros países mais ricos que Moçambique.

Via VOA

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*