Oposição não quer dívidas ocultas no Orçamento do Estado

Deputados rejeitam pedido do Governo para inscrever no Orçamento do Estado de 2015 os empréstimos contraídos fora das contas públicas entre 2013 e 2014. Executivo anuncia novos cortes orçamentais para enfrentar crise.

O Governo de Moçambique pediu esta quarta-feira (08.06) ao Parlamento que inscreva no Orçamento Geral do Estado de 2015 as dívidas ocultas das empresas ProIndicus e Mozambique Asset Management, contraídas pelo anterior Executivo, em 2013 e 2014. O pedido foi rejeitado pela oposição parlamentar, que exige a responsabilização dos autores dos empréstimos.

“O Parlamento foi desrespeitado, a Constituição foi grosseiramente violada. Cabe ao Parlamento autorizar que o Governo contraia dívidas em nome dos moçambicanos”, afirmou a líder da bancada da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), Ivone Soares.

As bancadas da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) e do Movimento Democrático de Moçambique (MDM) defenderam a constituição de uma comissão de inquérito para investigar os contornos da dívida.

Faça o primeiro comentário a "Oposição não quer dívidas ocultas no Orçamento do Estado"

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.